Você está aqui: APEAM > 2014 > outubro
Apoio
Patrocínio
Eleição para Inspetores do CREA-PR

Eleição para Inspetores do CREA-PR

O Plenário do CREA-PR aprovou na sessão de 14 de outubro a composição da Comissão Eleitoral de Inspetores – CEI, sob a coordenação do engenheiro agrícola Valmor Pietsch.

A presente eleição destina-se a eleger 06 inspetores (um em cada modalidade) para cada uma das 35 inspetorias do CREA-PR, perfazendo um total de 210 vagas. O mandato tem duração de 18 meses e iniciará em 01 de janeiro de 2015 e encerrará em 30/06/2016.

Todos os informes sobre a eleição estão disponíveis no REGULAMENTO ELEITORAL e há também o Manual do Inspetor que esclarece acerca de sua participação durante o mandato.

O processo eleitoral ocorre via internet, tanto a inscrição como a eleição dos candidatos inscritos. O profissional pode fazer a inscrição diretamente em seu acesso restrito.

Convidamos a assistir o vídeo com a mensagem do presidente em exercício do CREA-PR eng. agrônomo Orley Jayr Lopes.

http://www.crea-pr.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=58&Itemid=60

Fonte: CREA-PR

APEAM participa do I Debate sobre a Profissão do Engenheiro Ambiental da UTFPR Campo Mourão

APEAM participa do I Debate sobre a Profissão do Engenheiro Ambiental da UTFPR Campo Mourão

O engenheiro ambiental e tesoureiro da APEAM Luiz Guilherme Grein participou no dia 13 de outubro do I Debate sobre a Profissão do Engenheiro Ambiental da UTFPR Campo Mourão promovido pelo curso de Engenharia Ambiental com apoio da APEAM.

O evento foi destinado a profissionais e estudantes de Engenharia Ambiental e teve como objetivo levar informações relevantes e atuais sobre a profissão e atuação do engenheiro ambiental no mercado de trabalho. Durante o evento foi discutido as resoluções que regulamentam essa profissão apresentando o cenário atual e prospecções para o futuro.

IMG-20141014-WA0009

“O evento foi de grande importância para a divulgação das ações realizadas pela APEAM desde sua fundação. Além disso, a presença de um profissional que já atua no mercado de trabalho foi importante para responder algumas dúvidas e angústias que os acadêmicos possuem”, destacou Grein.

Grein palestrou sobre temas como os objetivos, histórico e atuação da APEAM, principalmente perante o sistema CONFEA/CREA; histórico da Engenharia Ambiental, normas e resoluções que definem suas atribuições; oportunidades e dificuldades enfrentadas pelo Engenheiro Ambiental no mercado de trabalho. Na segunda etapa da palestra, foi apresentada a experiência profissional do palestrante no mercado de trabalho, com ênfase na gestão de resíduos sólidos e elaboração de Planos Municipais de Saneamento Básico. E ao final, foi aberto espaço para perguntas, com boa participação do público presente.

MMA abre curso para elaboração de planos de resíduos sólidos

MMA abre curso para elaboração de planos de resíduos sólidos

Podem participar técnicos das prefeituras de municípios de pequeno porte

O Ministério do Meio Ambiente (MMA) realiza mais um curso online. Desta vez, técnicos das prefeituras de municípios de pequeno porte, com menos de 20 mil habitantes, serão orientados na elaboração de Plano Simplificado de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos. As inscrições abriram ontem (08/10) e podem ser realizadas pelo site da plataforma Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA).

Durante o curso, os alunos conhecerão técnicas metodológicas que permitirão desenvolver a maior parte ou a totalidade do plano local. “Os participantes terão a oportunidade de conhecer uma metodologia para a elaboração de planos de resíduos sólidos desenvolvida pelo Ministério do Meio Ambiente, baseada nos princípios, objetivos e diretrizes da Lei 12.305/2010, de modo que os profissionais capacitados possam ”pensar o todo” da gestão de resíduos, de forma qualificada e alinhada com os desafios postos pela Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS)”, explica o gerente de Projeto do MMA, Eduardo Rocha. 

O curso tem 20 horas de duração e será realizado no período de 6 de novembro a 10 de dezembro. São 2 mil vagas abertas até o dia 22 deste mês. Os interessados devem preencher formulário no site do AVA, pois serão priorizadas as pessoas que melhor atenderem o perfil indicado. O intuito é apresentar as etapas necessárias para elaboração dos Planos Municipais de Resíduos Sólidos.

Fonte: Ministério do Meio Ambiente

Eleições Sistema Confea/CREA e Mútua

Eleições Sistema Confea/CREA e Mútua

Escolha seu local de votação para eleição do Sistema Confea/CREA e Mútua até o próximo dia 20 de outubro

O CREA-PR convida a todos os profissionais para a eleição do Sistema Confea/CREA que acontecerá no dia 19 de novembro. Os profissionais tem até o próximo dia 20 de outubro para escolher o local de votação.

Na oportunidade serão escolhidos o Presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), o Presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (CREA-PR) e o Diretor Geral e o Diretor Administrativo da Mútua-PR, a Caixa de Assistência dos Profissionais dos Creas.

Exerça seu direito e eleja os profissionais que estarão à frente do Sistema CONFEA/CREAs e Mútua nos próximos 3 anos.

A eleição no dia 19 de novembro será presencial. Estarão aptos a votar todos os profissionais registrados no Sistema Confea/CREA, com a anuidade em dia e sem débitos em dívida ativa. A data limite para regularizar a situação é até o próximo dia 20 de outubro de 2014.

Para mais informações sobre o processo eleitoral, acesse a página das eleições em:

http://www.crea-pr.org.br/index.php?option=com_content&view=article&id=3080&Itemid=102

Para escolher seu local de votação acesse sua área restrita:

http://creaweb.crea-pr.org.br/webrestrita_prof/login.aspx

Mercado de trabalho: entrevista com Flavia Deboni

Mercado de trabalho: entrevista com Flavia Deboni

Falta uma visão, por parte das empresas, de que cuidar da área ambiental muitas vezes também significa ganhar lá na frente.”

“Falta fiscalização ambiental efetiva por parte dos órgãos ambientais, fazendo com que as empresas e municípios passem a se preocupar mais com o assunto e investir mais nessa área”, enfatiza a engenheira ambiental Flavia Deboni em entrevista por email à APEAM. Para ela, falta ainda uma visão, por parte das empresas, de que cuidar da área ambiental muitas vezes também significa ganhar lá na frente, evitando multas, reduzindo a utilização de recursos naturais, reduzindo também a geração de resíduos, emissões, e efluentes, ou seja, diminuindo seus custos.

 Confira a entrevista realizada com a engenheira ambiental Flavia Deboni:

APEAM: Para iniciar, conte-nos um pouco de sua trajetória profissional como engenheira ambiental.

Flavia: Atuei como estagiária na HAZTEC TECNOLOGIA E PLANEJAMENTO na investigação geoambiental em refinarias da Petrobrás e auxiliei na avaliação de risco à saúde humana em áreas industriais e segmento de petróleo e gás. Também fui estagiária na CAMARGO CORRÊA e atuei na gestão ambiental da obra da Linha Verde – eixo metropolitano de Curitiba.

APEAM: O que lhe motivou a fazer o curso de Engenharia Ambiental?

Flavia: O que me motivou foi meu interesse por assuntos relacionados ao meio ambiente e por ser um curso de engenharia.

APEAM: Qual sua área de atuação?

Flavia: Atuo na área de licenciamento ambiental, principalmente no licenciamento de atividades relacionadas a resíduos sólidos (aterros sanitário e industrias, áreas de transbordo, compostagem, barracões de triagem, sistemas de tratamento de resíduos) e atividades industriais. Avalio processos de licenciamento ambiental e participo na elaboração de resoluções e portarias estaduais sobre o tema.

APEAM: Quais foram as maiores dificuldades encontradas no mercado de trabalho?

Flavia: Falta de comprometimento e preocupação com as questões ambientais, por parte das empresas e municípios. Outra dificuldade encontrada é a falta de qualificação técnica dos profissionais, que muitas vezes nem são da área ambiental.

APEAM: A Engenharia Ambiental é relativamente nova no mercado de trabalho brasileiro e também, dentre as demais engenharias, a que mais tem potencial de crescimento. O que você acha que está faltando para que este fato seja concretizado?

Flavia: Falta ainda a fiscalização ambiental efetiva por parte dos órgãos ambientais, fazendo com que as empresas e municípios passem a se preocupar mais com o assunto e investir mais nessa área. Também falta uma visão, por parte das empresas, de que cuidar da área ambiental muitas vezes também significa ganhar lá na frente, evitando multas, reduzindo a utilização de recursos naturais, reduzindo também a geração de resíduos, emissões, e efluentes, ou seja, diminuindo seus custos.

APEAM: Na sua opinião, qual a importância da APEAM para o fortalecimento da categoria?

Flavia: A APEAM é fundamental nesse processo, defendendo a categoria e impedindo que profissionais que não sejam da área ambiental e não possuam as devidas qualificações consigam atuar, de forma a prejudicar o próprio setor ambiental e quem contrata seus serviços. No IAP vemos muitos profissionais desqualificados prestando serviço e prejudicando a aprovação e execução de projetos.

APEAM: Para finalizar, qual recado você gostaria de deixar aos futuros Engenheiros Ambientais?

Flavia: Que se esforcem e busquem sempre aprender, já que a Engenharia ambiental possui uma ampla área de atuação.