Você está aqui: APEAM > 2012 > agosto
Apoio
Patrocínio
“A maior riqueza que o Engenheiro Ambiental possui é o seu nome, por isso trabalhar com ética e seriedade é imprescindível”

“A maior riqueza que o Engenheiro Ambiental possui é o seu nome, por isso trabalhar com ética e seriedade é imprescindível”

Fernanda de Oliveira Starepravo Ferrari, engenheira ambiental e mestre em Engenharia e Ciências dos Materiais pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), atua na Copel Geração e Transmissão S.A. como coordenadora geral do Projeto Básico Ambiental (PBA) da Usina Hidrelétrica Colíder, empreendimento que está sendo implantado na região norte do Mato Grosso. “Como coordenadora, realizo a gestão do processo de licenciamento ambiental do empreendimento, e a minha principal função é acompanhar a implantação dos programas nos meios físico, biótico e socioeconômico, assegurando o fluxo eficiente de informações para o cumprimento do cronograma físico e financeiro do Projeto”, disse.

 

APEAM – Quais foram as maiores dificuldades encontradas no mercado de trabalho?

Fernanda – Acredito que as maiores dificuldades estão relacionadas à variedade de profissionais de diversas áreas atuando na área ambiental, apesar de possuir uma formação específica, o Engenheiro Ambiental ainda não possui atribuições singulares. 

APEAM – A Engenharia Ambiental é relativamente nova no mercado de trabalho brasileiro e também, dentre as demais engenharias, a que mais tem potencial de crescimento. O que você acha que esta faltando para que este fato seja concretizado?

Fernanda – É uma questão de tempo, hoje a questão ambiental não é vista como a área da empresa que só traz despesas, sem nenhum retorno. Instrumentos, como a ISO 14001:2004, fornecem as empresas diversos controles e medidas de economia que favorecem os processos existentes, sem contar com a publicidade ambiental, onde empresas utilizam as práticas ambientais para se destacar no mercado. Em grandes empresas as questões ambientais já estão sendo colocadas na pauta de reuniões estratégicas, hoje, a alta direção possui conhecimento sobre a importância da área ambiental e que o licenciamento ambiental, sem a devida atenção, poderá se tornar o caminho crítico para a implantação de seus projetos.     

APEAM – Qual a importância da APEAM para o fortalecimento da categoria?

Fernanda – A APEAM desempenha um papel preponderante para o fortalecimento da categoria, realizando as ações de divulgação da profissão e ajudando a moldar a identidade do Engenheiro Ambiental.

APEAM – Para finalizar, qual recado você gostaria de deixar aos futuros Engenheiros Ambientais?

Fernanda – A maior riqueza que o Engenheiro Ambiental possui é o seu nome, por isso trabalhar com ética e seriedade é imprescindível, sendo o grande desafio encontrar o equilíbrio entre os interesses do homem e do meio ambiente.

“A dedicação aos estudos e o estágio são fundamentais para aquisição de experiência e uma boa colocação no mercado de trabalho”

“A dedicação aos estudos e o estágio são fundamentais para aquisição de experiência e uma boa colocação no mercado de trabalho”

Kenia Unfer Motta, engenheira ambiental pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), especialista em Direito Ambiental e mestre em Engenharia ambiental pela Universidade Federal do Paraná (UFPR), acredita que o estágio e dedicação aos estudos são fundamentais para aquisição de experiência e uma boa colocação no mercado de trabalho. Atualmente, Motta trabalha como responsável técnica na Similar Controle de Emissões Atmosféricas.

APEAM – Quais foram as maiores dificuldades encontradas no mercado de trabalho?

Kenia – O tempo que ainda leva para ingresso no primeiro emprego e o reconhecimento do curso.

APEAM – A Engenharia Ambiental é relativamente nova no mercado de trabalho brasileiro e também, dentre as demais engenharias, a que mais tem potencial de crescimento. O que você acha que esta faltando para que este fato seja concretizado?

Conhecimento do mercado sobre as habilitações e competências do engenheiro ambiental; Divulgação do curso e conhecimentos específicos; Reuniões com representantes de grandes empresas, associações e sindicatos. Organização de eventos, palestras, cursos, etc.
Existem áreas de atuação comuns, como a engenharia química, é preciso trabalhar no sentido de que é possível partilhar o mercado de trabalho conjuntamente.

APEAM – Qual a importância da APEAM para o fortalecimento da categoria?

Kenia – Estreitar contatos com administradores de empresas de diversas formas, desde a simples publicidade, às reuniões, palestras, mesmo profissionalmente, dando a conhecer a formação e habilitações do engenheiro ambiental.

APEAM – Para finalizar, qual recado você gostaria de deixar aos futuros Engenheiros Ambientais?

Kenia – A dedicação aos estudos e o estágio, mesmo que voluntário, são fundamentais para aquisição de experiência e uma boa colocação no mercado de trabalho.

Engenheira ambiental Kenia Unfer Motta 

Curso de Perícia Ambiental em Curitiba/PR

Curso de Perícia Ambiental em Curitiba/PR

Pericia

Datas: 14 e 15 de Setembro de 2012

 

Horários do curso: Das 08:00 h às 12:00 h e das 13:30 h às 18:00 h

 

Local: Hotel Nacional Inn – Rua Lourenço Pinto, 456, Centro em Curitiba/PR (Em frente ao Shopping Estação).

 


 

 

Objetivo: Capacitar os profissionais para a atuação como Peritos Judiciais e Assistentes Técnicos na área ambiental através do conhecimento dos procedimentos, práticas e aspectos legais aplicáveis.
Público Alvo: Profissionais de nível superior atuantes na área de meio ambiente ou interessados em atuar na área de Perícia Ambiental e com registro em conselho de classe; estudantes de nível superior.
Carga Horária: 20 Horas/aula
Conteúdo Programático:

  • Fundamentos da Perícia Ambiental;
  • Legislação aplicada à Perícia Ambiental;
  • Como vir a ser Perito Ambiental;
  • Quem pode ser Perito Judicial Ambiental;
  • Mercado de trabalho para o Perito e para o assistente técnico;
  • Nomeação do Perito;
  • Funções do Perito e do Assistente Técnico;
  • Remuneração da Perícia e proposta de honorários;
  • Noções de Responsabilidade Civil e Criminal;
  • Formulação e resposta aos quesitos;
  • Procedimentos para realização de Perícia Ambiental;
  • Dano ambiental: classificação e características;
  • Impedimentos e suspeição;
  • Roteiro para Elaboração de Laudo Pericial Ambiental;
  • Metodologia para elaboração de documentos técnicos periciais;
  • Realização de atividades aplicadas.

 


Material didático:

Apostila com o conteúdo do curso, pasta, bloco de anotações e caneta.

 


Certificado:

Alunos com 75% de freqüência no curso receberão certificado de participação.

 


Instrutor(a): Ricardo Sérgio de Paula Freitas
Engenheiro Químico e Engenheiro de Segurança. Especialista em Meio Ambiente (Gestão de Passivo Ambiental/Auditor e Perito Ambiental). Perito Ambiental. Eng.º de Processo, Operação e de Produção em empresas de expressão Nacional. Diretor Técnico do Instituto do Meio Ambiente-IMA/AL e Diretor de Gestão Ambiental na Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Alagoas. Coordenador Geral de Licenciamento da Secretaria do Meio Ambiente Municipal-MCZ/AL. Consultor Técnico da empresa ENSIMA – Eng. e Serviços Ltda, atuando como Coordenador das atividades de elaboração de Estudos Ambientais (EIA/RIMA, RAS, RAA, RCA, PCA, PRAD, RADA, Auditoria Ambiental e OUTROS).


Informações Adicionais:

 

Investimento:

Profissionais

À vista R$650,00 – vencimento em 03/09

Parcelado em 2 x 350,00 – vencimento em 03/09 e 03/10

 

Estudantes

À vista R$ 550,00 – vencimento em 03/09

Parcelado em 2 x R$300,00 – vencimento em 03/09 e 03/10