Você está aqui: APEAM > 2011 > novembro
Apoio
Patrocínio
Congresso Ambiental em Foz do Iguaçu destaca temas da realidade do setor

Congresso Ambiental em Foz do Iguaçu destaca temas da realidade do setor

Durante os dias 31 de maio a 02 de junho, aconteceu em Foz do Iguaçu, no Paraná, o III congresso Ambiental, realizado pela União Dinâmica de Faculdades Cataratas (UDC), que abordou assuntos atuais relacionados ao meio ambiente  e direcionados não só aos profissionais dá área, como também aos estudantes e à comunidade em geral. As palestras e minicursos reuniram profissionais com experiência em diferentes áreas, possibilitando uma discussão ampla.

Da esq. p/Dir.: Engenheira Giovanna de Christo, Coordenador do Curso da UDC, Prof. Martin Engler, e o Engenheiro Renato Muzzollon Junior / Fonte: UDC

 

Para iniciar o congresso o engenheiro Ambiental Renato Muzzollon Junior, também presidente da Associação Paranaense dos Engenheiros Ambientais (APEAM ) ministrou uma palestra sobre o “Mercado de Trabalho e a APEAM”, que é uma entidade associativa e que tem como principal objetivo o desenvolvimento profissional no Estado do Paraná e no Brasil.

A instituição atua como referência na solução dos problemas ambientais, movimentando o conhecimento. Renato também destacou as atividades, deveres e áreas de atuação do profissional.

Outro assunto que ganhou destaque foi “Créditos de Carbono”. A engenheira ambiental Giovanna Lunkmoss de Christo, que tem experiência nesta área, explicou sobre os certificados, que autorizam o direito de poluir e os princípios de proteção ambiental. Inicialmente, selecionam-se indústrias que mais poluem no país e a partir daí são estabelecidas metas para a redução de suas emissões. As empresas recebem bônus negociáveis na proporção de suas responsabilidades.

A construção sustentável também foi um tema abordado pelos engenheiros Edmar Vasconcelos e João Vitor Gallo. Segundo eles, as atividades de construção devem ser repensadas, a fim de minimizar os impactos no meio ambiente.

 

Nova gestão busca congregar os engenheiros ambientais do Paraná

Nova gestão busca congregar os engenheiros ambientais do Paraná

A nova gestão da Associação Paranaense dos Engenheiros Ambientais (APEAM), entidade associativa sem fins lucrativos que tem como principal objetivo o desenvolvimento da profissão de engenharia ambiental no Paraná e no Brasil, já visitou quatro universidades do estado: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Faculdade Anchieta de Ensino Superior do Paraná, Universidade Federal do Paraná e Centro Universitário de União da Vitória.

Os principais objetivos da nova gestão são definir e defender as atribuições dos engenheiros ambientais perante o sistema CREA/CONFEA, congregar os engenheiros ambientais do Paraná, a fim de fortalecer a categoria e ampliar sua atuação, promover cursos e palestras visando o aperfeiçoamento dos profissionais, entre outras atividades.

A nova diretoria conta com os seguintes membros: presidente – eng. Renato Muzzolon Junior

vice-presidente – eng. Helder Nocko; secretaria – eng. Leana Carolina; vice-secretário – eng. Fabio Mathias Fabri; tesoureiro – eng. Luiz Guilherme Grein Viera e vice-tesoureiro – eng. Daniel Macedo

Para mais informações, acesse nosso site – www.apeam.com.br

 

APEAM Apresenta Plano Nacional de Resíduos Sólidos na Comissão de Meio Ambiente do CREA/PR

APEAM Apresenta Plano Nacional de Resíduos Sólidos na Comissão de Meio Ambiente do CREA/PR

Na terça-feira, dia 01/11/2011, a APEAM fez uma apresentação sobre o Plano Nacional de Resíduos Sólidos em reunião ordinária da Comissão de Meio Ambiente (CMA) do CREA/PR. A APEAM havia sido convidada, por meio de seu representante na comissão, o vice-presidente, Eng. Ambiental Helder Nocko, a proferir palestra sobre o tema. O secretário da APEAM, Eng. Ambiental Luiz Guilherme Vieira, apresentou o tema para os representantes da CMA, que se interessaram bastante pelo tema e continuaram, após a apresentação, com caloroso debate sobre os detalhes apresentados pelo Eng. Luiz Guilherme. Durante a reunião foram ainda debatidos outros temas, tais como o desejo de que a CMA torne-se uma comissão permanente dentro do CREA/PR. Atualmente a comissão é temporária.
APEAM Debate Propostas e Demandas da Categoria com o Candidato Eleito do CREA/PR Eng. Civil Joel Kruger.
Com o objetivo de apresentar as demandas da categorias dos engenheiros ambientais ao candidato à presidência do CREA/PR a APEAM reuniu-se com o Eng. Civil Joel Kruger na tarde do dia 01/11/2011. A APEAM foi representada pelos engenheiros ambientais Helder Nocko e Luiz Guilherme Vieira. As demandas apresentadas pela APEAM foram:
  1. Colaboração da Presidência do CREA/PR para o reconhecimento formal da APEAM como entidade de classe dentro do sistema CREA/CONFEA, processo esse que já se encontra dentro do CREA/PR;
  2. Proposta de simplificação do processo de análise de ART dos engenheiros ambientais. A APEAM entende que há grande quantidade de indeferimento de ART de engenheiros ambientais mesmo havendo pouca regulamentação sobre as competências da nossa classe e que isso precisa ser modificado;
  3. Modificação do sistema de preenchimento de ART, o qual ainda permanece muito voltado para atividades dos engenheiros civis. Entende-se que é possível criar novos campos para melhorar a descrição dos serviços prestados pelos eng. ambientais;
  4. Solicitação para que a APEAM passe a representar, sempre que possível, como representante e interlocutora do CREA/PR perante os órgãos de controle ambiental do estado do Paraná, tais como Conselho Estadual de Meio Ambiente, Secretaria Estadual de Meio Ambiente e órgão a ela ligados.
As demandas foram ouvidas pelo candidato, que se prontificou a atendê-las e a chamar a APEAM para conversar em Janeiro de 2012, quando se iniciará seu mandato.
APEAM apresenta Plano Nacional de Resíduos Sólidos na Comissão de Meio Ambiente do CREAPR
APEAM Apresenta Plano Nacional de Resíduos Sólidos

APEAM realiza debate sobre a Lei 16.346/09 que busca prevenir danos ambientais

APEAM realiza debate sobre a Lei 16.346/09 que busca prevenir danos ambientais

A Associação Paranaense dos Engenheiros Ambientais (APEAM) realizou, na última quarta-feira (24), um debate sobre a Lei 16.346/09 que determina a obrigatoriedade das empresas potencialmente poluidoras de contratarem responsável técnico em meio ambiente.

Segundo Antônio Caetano de Paula Junior, chefe de gabinete do deputado estadual Luiz Eduardo Cheida, as empresas potencialmente poluidoras deverão ter um responsável técnico (sendo pessoa física ou pessoa jurídica) pelas questões ambientais. “O cadastro destas empresas segue o IBAMA, que está em discussão para sua atualização. Nesse cadastro, o IBAMA agrupa as empresas de acordo com seu “grau de poluição”, que será utilizado para definir a quantidade e a formação do profissional que será responsável pela área ambiental. A responsabilidade pelo dano ambiental, caso ocorra, continuará sendo da empresa, mas o responsável técnico também poderá ser penalizado”, destacou.

Para que as empresas estejam cumprindo a lei, no momento da renovação ou obtenção da Licença de Operação, deverão apresentar um Plano de Gerenciamento de Riscos Ambientais, documento já elaborado pelo IAP, que será definido pela regulamentação da lei. A regulamentação é de responsabilidade do Poder Executivo (Governo do Estado, SEMA e IAP).

O vice-presidente da APEAM, Helder Nocko, sugeriu novos debates para regulamentação e apresentou questionamentos a respeito da lei. “Sobre a votação de nova lei, acredito ser um entrave, pois o CREA-PR já foi ouvido, passou pela Agenda Parlamentar e foi aprovada com os profissionais indicados. Além disso, a lei não limita somente aos profissionais citados, mas faz uma recomendação às empresas. Na regulamentação, poderão ser incluídos outros profissionais não citados”, afirmou Nocko.

SOBRE A LEI 16.346/09 – A lei foi aprovada pela Agenda Parlamentar como uma das principais leis a serem votadas em 2009. Foram realizadas seis audiências para debater o Projeto de Lei, além de uma audiência pública na Assembléia Legislativa. O principal objetivo da lei é prevenir danos ambientais.